Plus500

12.11.08

Resultado recorde!!!

A Petrobras apresentou lucro líquido de R$ 10,852 bilhões no terceiro trimestre de 2008, o que representa uma alta de 96% em relação ao mesmo período de 2007. O valor é recorde. De janeiro a setembro, a Petrobras registrou um lucro líquido de R$ 26,56 bilhões, um avanço de 61% sobre os nove primeiros meses do ano passado. Nesta base de comparação, o resultado também é o maior da história.

Resultado Recorde... Queda Relâmpago! Tudo certo que o preço do barril também está em queda livre... mas e os poços milagrosos???

Hoje divulgaram mais novidades:

A Petrobras encontrou indícios de petróleo em dois poços em novembro, segundo informações da página da Agência Nacional de Petróleo (ANP) na internet. O primeiro indício fica no bloco MLS, na Bacia de Campos, no mar. O segundo fica na Bacia de Santos (S-M-322), também no mar.

....

Parecem ser notícias oportunistas... que já não encantam mais os investidores. O pré-sal com este preço do óleo ainda tem viabilidade?

...

Que coisa hein... depois de um resultado destes ela cai mais de 7%.

Assim não tem santo que ajude!

Sabem qual é o motivo?

Desemprego na Grã-Bretanha?

Dados corporativos ruins nos EUA

A iminente quebra das gigantes automobilísticas?

Recessão na Europa?

...

Hummm... só faltava essa:

...

Obama deve seguir os passos de Lula, diz economista
Segundo John Coatsworth, reitor da SIPA, a Escola de Relações Internacionais e Administração Pública da Universidade Columbia, assim como Lula, Obama deve adotar uma política econômica sensata para poder avançar em políticas sociais progressistas
Será que vão lançar o "Bolsa-Obama" na América? ;-)

^v^

Um comentário:

sardinha disse...

PETROBRAS: ANALISTAS SE DECEPCIONAM C/AUMENTO DE DESPESAS OPERACIONAIS

Rio, 12 - O lucro recorde da Petrobras no terceiro trimestre não foi suficiente para animar o mercado um dia após a divulgação dos resultados da estatal. A principal decepção que salta dos relatórios dos analistas foi o crescimento das despesas operacionais em R$ 2,4 bilhões. "Ficamos desapontados. As despesas operacionais atingiram R$ 8,1 bilhões no período, um recorde", aponta o Citi, lembrando que tinha havido uma redução destes custos no primeiro trimestre e que agora demonstram novas altas.

Em conferência com analistas nesta manhã, o diretor financeiro da estatal, Almir Barbassa, citou como principais causas para a elevação das despesas um aumento no número de poços secos no período, além de multas pela não entrega de gás e a própria ociosidade das usinas térmicas. Ele também destacou um fator não recorrente que foi o pagamento de um bônus aos funcionários, equivalente a 80% dos salários, em setembro.

Para o UBS, "restam dúvidas" de que o terceiro trimestre da Petrobras pode ser considerado forte. De acordo com o relatório, a combinação de aumento na produção (+6%), altos preços do óleo no mercado internacional (US$ 117 por barril) e aumento recente do diesel e da gasolina é muito positiva. "Porém, restam dúvidas porque parece que o foco dos investimentos infelizmente esteve em gerar os ganhos do terceiro trimestre", diz o UBS, completando na análise que "o mundo mudou significativamente desde o final do terceiro trimestre e o foco dos investidores está nos preços de óleo mais fracos, e diante disso, fluxos de caixa, custos, dívidas e despesas deveriam ser vistos sob estes cenários de estresse.

"Outro ponto destacado pelos analistas foi a redução da margem operacional em todas as divisões da companhia. "Ficamos particularmente desapontados com a margem negativa na divisão do refino e na nova reversão para perdas dos resultados da área de gás e energia. A Petrobras usou mais caixa do que gerou no período", comentou o Citi, em relatório.

Para a corretora Ativa, o resultado operacional veio "bastante fraco", com queda de margem operacional acima da expectativa e da média do mercado. "Apesar de já termos indicado a expectativa de um enfraquecimento das margens operacionais, uma série de diferenças, em especial no custo de importação de derivados e nas despesas operacionais, prejudicou de forma relevante o resultado operacional e, conseqüentemente, suas margens".