Plus500

29.12.08

Com a chegada do fim de ano

Que continuemos próximos das pessoas amigas...

E os ventos sempre nos ajudem na conquista do sucesso! ^v^

23.12.08

Feliz Natal

Pausa nos Mercados!

É Natal. E logo depois começam os preparativos para o Reveillon.

Não dá para esperar muito com um volume fraco. São 15 horas e não chegamos a R$ 1 Bi...

Os negócios só serão retomados para valer em 2009... e aí vamos ver se o Ibovespa testa a LTA do agora TRG ascendente - não segurando por lá segue direto para a base do caixote, na faixa de 30k - ou volta ao topo do trading range ( onde passa a LTB - em torno de 40.000).

Que esta pausa seja oportuna para reavaliação das estratégias! ^v^

20.12.08

Elliott Wave Theory


Como os estudos de Elliott tomaram por base a sequência de Fibonacci, a razão áurea não pode mesmo ser desprezada. Fiz uma variação em cima das linhas de tendência, que na teoria pura não são tão relevantes (dado a ocorrência de ondas menores), tomando como referência apenas os pontos ao final de cada onda.

Gráfico mensal em escala LOG, levando em conta as expansões e retracements. A partir disso, fica claro que o índice está na onda B.

E apesar de eu aplicar muito pouco esta teoria, ela existe... e como nenhum indicador deve ser desprezado a esta altura, serve como mais um parâmetro para nos situarmos neste mercado. E considerando que uma onda C estaria por vir, os suportes do Ibov dolarizado e do SPX de LP ficam mesmo seriamente ameaçados.

^v^

19.12.08

SPX - Time Goal Days

É só uma possibilidade: projetando os topos e fundos pela regra de Fibonacci no eixo do tempo (Time Goal Days), podemos ter este desenho... e o GAP deixado em 26 de setembro aos 1.189 seria fechado em meados de março com a projeção do OCOi...

Como ninguém sabe o lado direito do gráfico, depois conferimos...

Fórum Monitor Financeiro

^v^

18.12.08

Novos parceiros

O Monitor Investimentos está sempre buscando o melhor para os seus usuários. E por indicação de dois amigos participantes do nosso Fórum, o Sardinha e Flexi Foil, duas novas parcerias foram feitas para proporcionar o melhor conteúdo nas tomadas de decisão.

O Bruno, responsável pela administração do site "Dados da Bolsa", reuniu uma série de infos altamente relevantes para acompanhamento do mercado. Além do fluxo de capital na Bovespa, da quantidade de ações alugadas e as relações das opções descobertas, travadas e com cobertura de seus ativos-objeto, ele sempre atualiza a participação dos investidores , o acumulado no mês, o saldo nos contratos futuros da BM&F. www.dadosdabolsa.com

Para quem gosta de analisar números , o portal GuiaInvest traz, além do Raio-X das empresas (com um snapshot atualizado quase em tempo real - 15 min), um painel com o gráfico de linha e outro com o lucro consolidado nos últimos 3 e 12 meses.

Olhem este bom exemplo da Confab PN (CNFB4).


Eu no poderia deixar de acrescentar os links também nas minhas recomendações do Seagull Trading, e sugiro a todos que façam o mesmo, incluindo ambos endereços nas suas listas de favoritos! ;-)

Abs ^v^

17.12.08

Ibovespa no topo do caixote!!!

E não é que passou dos 40k!!! Ou não passou???... vai ficar para os registros!

Mas o corte na taxa de juros não é a única espingarda do arsenal do Fed.


Não podemos esquecer que eles tem uma fábrica de dinheiro. Contudo, segundo o próprio Obama, "antes de melhorar ainda deve piorar muito".

Enquanto isso, sobrarão repiques e violinos... e a "pipa" não vai voar?

O jogo ainda não acabou!!! ^v^

15.12.08

Enquanto Petro for o carro-chefe...

Junto com a Vale, a Bovespa fai ficar ao sabor das commodities...

No fundo, sinto saudades da Telemar, de quando ela era força-motriz das opções.

A tele-gangue e os demais players do cassino, mal ou bem, faziam a coisa funcionar.

Agora fica esse negócio de reservas monstruosas inexploradas, poços milagrosos, ingerências políticas, diz-que-me-disse, e o preço do barril influenciando os negócios...

Essa tendência (da dependência do óleo) tem que mudar... a maior exigência que se fez às montadoras, para liberarem o socorro, foi que buscasses produzir carros mais econômicos, que investissem em fontes limpas... além de responsabilidade administrativa, claro!

Parece que a consciência pela preservação do planeta fala mais alto, neste momento!

De que adianta ter estoques de um produto fadado a nos matar. Seca lá, inundações aqui, tornados e furacões, geleiras degelando. Sei não... mas continuam especulando sobre o passado. O mundo é outro, e vai mudar mais ainda... quem não enxergar o futuro vai virar peça de museu!

^v^

14.12.08

12.12.08

Projeções do Caixote

Ficamos por enquanto, pelo topo do caixote.. não deu para ameaçar um rompimento da LTB primária em 42k. Com o triângulo reajustado, o índice vem seguindo sobre uma incipiente LTA secundária, com outra terciária dentro de um canal que aponta para 45k. Mas se com toda expectativa pelo pacote das montadoras o IBOV não conseguiu passar de 40.000...

Olhando para as fibos, depois do fundo em 29,4k, o pivot fez "sua cabeça" (50% da suposta expansão) em 41.000 , de onde corrigiu registrando um outro fundo mais alto que o anterior em 31.200. A projeção dos 100% seria 53k... mas vai ser difícil chegar lá.

Então, se este novo topo em torno de 40k se confirmar, a esperança fica em uma realização até 35.000, para não desfazer o pivot, e caso este ponto não faça suporte, só mesmo torcendo para não furar a base do caixote - onde os ursos retomariam a rédea do mercado, e o trading range vai por água abaixo. Desculpem o excesso de rabiscos, a intenção é ilustrar as diversas tendências dentro do caixão (ops, ainda é caixote)


Em termos intradiários, quanto aos inúmeros GAPS nos ativos e índices, decerto que com a abertura para baixo poderia ter alguma reação no início... mas há chance de voltarmos ao voleibol!

^v^

11.12.08

Dia morno e incerto

O Copom não mexeu nos juros mas sinalizou que o fará em breve... talvez a dose tenha que ser maior da próxima vez, mas a questão do câmbio, e seus efeitos na inflação, levou os membros do Comitê a adotarem uma política conservativa. Com a aprovação do pacote às montadoras na Câmara dos EUA, agora a briga vai ser no Senado, de maioria republicana e resistente ao gasto de dinheiro público no final de mandato do Bush, sem a certeza de que o "paciente" tem salvação.

As três gigantes - e arcáicas - da indústria automobilística devem conseguir "virar" o ano caso recebam este dinheiro (bem menos do que pediram), mas suas falências (concordatas, pelo Chapter 11 da constituição americana) ainda não estão descartadas.

Tudo é possível...

Enfim, o mercado continua ressabiado e em busca de um motivo para melhorar o "clima" de Natal com este cenário recessivo.

Bolsas da Ásia, Europa e minifuturos americanos operam de forma mista e rondando a estabilidade. Vamos ver se este repique foi pela expectativa (boatos) e a resposta virá na mesma dimensão (com os fatos).

Bons negócios ^v^

E a bola continua rolando... no Monitor Investimentos

Estratégias de Investimento

Existem vários tipos de estratégias, dependendo do timeframe. Ou visamos a especulação de CP, ou um investimento de médio / longo prazo. Para toda e cada situação deve haver um plano previamente definido antes de abrir qualquer operação (seja na compra ou venda). Nele discriminamos o fato motivador, o capital a ser aplicado, um ponto de entrada, os objetivos de rentabilidade, prazo de retorno e o limitador de risco (stops) - quando houver.

Falando sobre administração de carteira, especificamente, não há uma única regra básica. Primeiro devemos considerar se vale a pena ou não estar posicionado. Observar o mercado de uma forma geral, seu comportamento, que, estando atrelado aos índices americanos, acaba sendo reflexo do SPX (e DJ por consequência). É bom procurar estar sempre ao lado e em conformidade com a tendência predominante. Adivinhar reversões pode ser muito lucrativo, mas é também bastante arriscado e pouco racional. Nunca tentar acertar as máximas ou mínimas, quando isto ocorre é por sorte - ou erro (comprou enquanto ainda estava caindo ou vendeu antes de acabar a subida!)

Na compra, a seleção dos ativos é feita com base nos fundamentos. Se considerarmos bom ficar sócio de uma empresa, consulta-se o gráfico (dos tempos maiores para os mais curtos) na busca por situar o seu momento no mercado. O ideal é sempre tentar comprar perto de um suporte ou no rompimento para cima de uma congestão. Na venda é exatamente ao contrário (lança na resistência e perda do suporte), mas os princípios são os mesmos.

Segue no Fórum Monitor Financeiro

10.12.08

Sobre a Petrobras

Com todas as bravatas do sonho no pré-sal e auto-suficiência proclamada do país em petróleo (?), como empresa, a Petrobras ainda me parece ser, na prática, importadora da commodity. E sendo também distribuidora, com o preço dos combustíveis inalterado nas bombas, se o valor do barril baixou de U$140 para algo em torno de 45 dolares, teoricamente, isso deveria ser bom para ela.

Mas o amigo JP complementou meu raciocínio, explicando que "na prática, a Petrobras produz quase que a totalidade do petróleo que utiliza, existindo uma divergência entre o volume de óleo leve e pesado, exportando um e importando o outro."

(...)

"Por outro lado, suprimindo os custos com pessoal (que por sinal também tiveram uma alta considerável), a maior parte das demais despesas da Petrobras estão atreladas ao US Dollar, visto que são equipamentos importados ou dolarizados. Assim com a alta no câmbio os custos de prospecção e produção deverão crescer, e ainda temos, se a crise aumentar, o risco da queda no consumo, o que influenciará diretamente no seu resultado."

O gráfico dá uma idéia das resistências que ela terá pela frente. Neste setup temos a região dos 61,8% de Fibonacci, na faixa de 22; a média mais lenta em 23; e a projeção do pivot - que indica um alvo em 25. Depois a MDT e a LTB primária em torno de 29. Mas como não sobe em linha reta... pelo menos o papel fez um fundo mais alto!

^v^

9.12.08

Follow the leader: SPX

Esse é o guia! Qualquer semelhança com o gráfico do IBOV não é mera coincidência...

Canal, caixote... não fosse o candle distorcido (que não sei como ainda não corrigiram isso)!

Eu não duvidaria de um teste aos 1000 pontos, para quem sabe até voltar e desenhar o verdadeiro ( definitivo?) OCOi...

Mas, do jeito que andam, para as coisas ficarem ruins ainda teriam que melhorar um pouco...

O rompimento do TRG no IBOV pode dar esperança de uma investida ao topo do caixote... mas a situação está longe de se resolver... o Natal sempre trouxe alguma esperança, mas os tempos são outros.

Contudo, a teoria da congestão permanece enquanto o fundo dos 30k sustentar o mercado.

O difícil será estimar quanto tempo vai durar a perna lateral do L...


^v^

Até onde vai este repique?

Repiques são assim mesmo, é pegar enquanto duram. E esse já nasceu com prazo de validade: se não voltar antes, pode ir até a faixa dos 40/42k e olhe lá.

Hoje as bolsas da Europa já têm valorização bem mais modestas, e como aqui é a última semana para o vencimento de opções podemos ter um prolongamento da pernada, com Vale indo perto dos 25 e Petro aos 23 (???). Isto se a volatilidade e as commodities permitirem.

Ainda tem a última reunião do ano do Copom... acredito até que baixem 0,25 como reflexo da baixa na inflação. E o dolar cai 2%... o que será que está fazendo o câmbio mexer tanto?

Vamos ver...

8.12.08

Triângulo do IBOV ameaçando um rompimento


E tome repique. Chegando às vésperas do pior Natal para o povo americano, é hora de dar algum alento aos mercados. Não cai em linha reta e vamos experimentar um presente de Noel - que não é grego!

Vão mesmo salvar as montadoras (ou prolongar a vida na UTI) na tentativa de preservar empregos.

A tendência é que por aqui os juros dos títulos continuem baixando, assim como o Copom não pode tardar no ajuste da Selic, sob o risco de compromenter ainda mais o ritmo (já desacelerado) do crescimento.

Continuo com aquela estratégia: girando no curto com objetivos de investimentos para o longo prazo.

No médio a coisa será mais difícil... ^v^

5.12.08

Salvem os empregos



Ou muitas cabeças vão "rolar"




A divulgação de que os Estados Unidos eliminaram 533 mil empregos em novembro chocou o mercado. Trata-se do pior resultado desde 1974. Analistas esperavam um corte de cerca de 335 mil vagas. Além disso, o governo revisou para baixo os números dos meses anteriores. Em outubro, 320 mil empregos deixaram de existir, contra estimativa anterior de 240 mil. Já a eliminação de vagas em setembro cresceu dos 159 mil divulgados para 403 mil confirmados.

Não adianta apenas cortar mais os juros. Suspeita-se que a taxa americana feche o ano em 0,25...

Isto só vai aumentar o risco de uma deflação....

O que pode ser feito de concreto?

Deixar as montadores pedirem concordata e eliminar mais 3 milhões de postos de trabalho???

Acho isto pouco provável... o BAILOUT vem aí!!!

Ainda não duvido de uma fusão no setor para salvamento de postos de emprego. O que estão fazendo é chantagem, mas o congresso não vai segurar este ônus sozinho, como querem induzir à opinião pública.

Por mais arrogantes e dissimulados que sejam (depois dos jatinhos, agora vão "esmolar" de carros híbridos, rs), os executivos das montadoras estão tentando de todas as formas liberar o dinheiro e, perto do montante que estão gastando com os bancos, 34 bi é fichinha (nada azuis).

E pelo rally deste final de sessão já deve ter gente sabendo... GENERAL MORTOS, não FORDE... é CRISLER!!!

AGMM - American General Multi Motors!

Absssssss e bom final de semana a todos! ^v^

4.12.08

Empréstimos e Crédito

Ontem o Plinio postou a notícia no Fórum Monitor:

Mais empréstimos para a Petrobras


A Petrobras negocia no mercado internacional a captação de valores acima de US$ 1 bilhão, afirmou hoje o diretor financeiro da companhia, Almir Barbassa. Ele não quis dar maiores detalhes sobre o assunto, alegando que a negociação ainda não foi concluída. "Temos trabalhado em busca de financiamento e estamos negociando algumas opções. Mas não está concluída e, quando estiver, nós anunciaremos", disse o executivo. Segundo ele, tratam-se de "algumas operações que, no conjunto, dão mais de US$ 1 bilhão". Se confirmada, será a primeira grande operação internacional da companhia desde o recrudescimento da crise financeira, que enxugou o crédito no mercado externo. Em outubro, a companhia teve de recorrer à Caixa Econômica Federal (CEF), tomando R$ 2 bilhões para ajudar no pagamento de impostos e taxas extras no período, em operação que vem sendo bastante criticada pela oposição. A Petrobras captou, este ano, cerca de US$ 7 bilhões.

--------------------------------------------------------------------------

Sei não... a mim parece que existe algo mais por trás destas operações financeiras "comuns" (?).

Muito estranho que, logo após a divulgação de um balanço com o melhor resultado da sua história, a Petro tenha que recorrer a estes empréstimos para equilibrar seu caixa! Certo fez a Vale capitalizando-se através da oferta de um novo lote de ações (aqui e no exterior) - enquanto os preços estavam nas alturas - e ficou quietinha. Quando muitos achavam que ela ia sair comprando empresas, ajustou-se, esperou seus alvos perderam valor substancialmente, e agora corta gorduras. Reduziu escala de produção em algumas frentes, desativou outras, e vem programando cortes de pessoal e férias coletivas. Dever de casa é isso.

Nossa estatal... a Petrobras... será que ficou imune à febre da alavancagem em derivativos???

Alguém (no planalto central) assumiria isto publicamente??? ^v^


3.12.08

Os blogs não são mais os mesmos...

Há algum tempo as pessoas descobriram o poder dos blogs como mais um canal para interatividade. Tanto os autores como seus visitantes mais assíduos sabem da capacidade de divulgação de idéias e o caráter informativo que alimenta a rede mundial de computadores.


Os temas abordados são livres e diversificados, e também no mercado financeiro surgiram muitos novos articulistas de qualidade que podem expressar seus estudos e análises com independência. O Monitor dos Blogs agrega boa parte deste conteúdo.

Com toda esta liberdade e ausência de custos, obviamente, a qualidade acaba sendo penalizada ( com a própria percepção de valor) e tem seu crédito questionado. Muita gente desqualificada se aproveitou destas facilidades para buscar um lugar ao sol. São neo-escritores, falsos analistas e artistas fracassados que seguem sua busca pela projeção a qualquer preço. Insistem em campanhas inócuas, fazem publicidade sem sentido, utilizam-se do marketing de guerrilha, poluem chats e ambientes alheios para dar visibildade ao seu espaço, e acabam conquistando a antipatia dos leitores da internet, que tendem a imaginar que é tudo "farinha do mesmo saco".

Assim como o Orkut (e assemelhados) virou uma "terra de ninguém" onde qualquer um se apropria de imagens para uso indevido e não autorizado, o anonimato favorece certos tipos de posturas reprováveis daqueles que não têm coragem de expor suas verdadeiras identidades e utilizam os blogs como meio para criticar, difamar, caluniar (ou coisas piores como falar de drogas, pedofilia, racismo e outras práticas abomináveis). Muitas vezes, um blog mais fica se parecendo com um panfleto apócrifo em formato digital. Portanto, na hora de avaliar a credibilidade do que está sendo oferecido na rede, procure se informar sobre o histórico do autor para não entrar no mundo do faz-de-conta!

Existe muita coisa séria e relevante, mas é preciso saber filtrar!

E o portal HSM Online, traduziu um artigo sobre este assunto:

O ato de publicar posts já é um hábito comum. Existem milhões de blogs espalhados pelo mundo, ou melhor, pela blogosfera. Leia matéria publicada no The Economist, que aborda questões interessantes sobre o presente e o futuro desse canal de comunicação popular no ambiente digital.

Continua no Monitor Investimentos

SOS Montadoras

E a acelerada de ontem no final dos negócios em Wall Street foi devido à grande expectativa pelo anúncio de um socorro urgente às montadoras.

As três grandes estão em situação difícil (a Ford está relativamente capitalizada, mas também vai ficar mal se GM e Chrysler falirem).


E os administradores já estão mostrando o desespero: aceitaram vender seus "jatinhos de luxo" e reduzir o salário anual para 1 dolar... depois de ganharem U$50M nos anos anteriores, agora querem passar por bonzinhos (e vítimas da situação econômica).

Ninguém assume a má gestão e os processos produtivos ultrapassados... no fundo preferem perder os rendimentos do que ver as suas stock options se transformarem em pó (se é que eles já não desovaram tudo!)

O Congresso vai ter que ceder... apesar da "chantagem" o maior prejudicado seria mesmo o povo americano com a perda de numerosos postos de empregos associados a indústria automotiva de Detroit. Apesar dos democratas estarem sensíveis aos apelos, a turma do Bush ainda se mantêm inflexível. Querem um plano...

O próximo repique mais consistente só deve acontecer quando o dinheiro sair: são U$ 34 BI... agora há pouco os índices deram uma levantada. Suficiente apenas para baterem de novo? A petro esboça uma reação apenas pelo fato da queda no óelo dar uma trégua. E a Dilma ainda afirma com pompas que os investimentos no PAC continuarão sendo feitos.

Pensei que, a esta altura, conter a desaceleração do crescimento esteja mais condizente com a realidade. Na verdade tudo significa a mesma coisa... questão de nomenclatura. Mas acreditar em um aumento do PIB acima de 2% em 2009 é mesmo um exercício de extremo otimismo com este cenário.

Que eles estejam certos... mas eu tenho mihas dúvidas! ^v^


2.12.08

Aberturas para cima e em GAP

Isso que preocupa... apesar de pequenos, Petro e Vale deixaram GAPs na abertura. Assim como muitos outros ativos. Depois do DJ cair ontem 7% (???) seria até natural os investidores darem uma peneirada no início. Tudo parecia péssimo, era o fim, a Big Tsú (by aguia), e hoje vem esta pororoca...

No mínimo é para ficar esperto. Acredito em um teste nas proximidades de 32k antes de voltar (?) no alto do TRG , onde veremos se ocorre um rompimento. Geralmente, nestas figuras, o breakout se dá do segundo para terceiro terço do segmento. Vamos observar para qual será o lado... do vértice não passa! Depois ainda tem o caixote! ;-)


Rebombando

Com a abertura de WS para cima, vamos pegar uma carona... a Ásia, tomada pelo efeito da véspera, avermelhou-se, mas na Europa as bolsas fecharam no azul (apesar dos pesares)... como quem vai definir o rumo do nosso dia é a Matriz, olho no SPX ! ;-)


^v^


1.12.08

O medo da perda

“Para o investidor, a questão fundamental que precisa ser resolvida, assim que uma abordagem viável de fazer investimentos for dominada, é o medo da perda. Expondo o problema de modo sucinto, a questão para o investidor é se é possível dissociar, sob o ponto de vista psicológi­co, as metas de lucratividade a longo prazo dos traumas imediatos e de curto prazo causados pelas perdas.

No filme Wall Street, Gordon Gekko expõe apropriadamente o dile­ma: "Nada arruina tanto o meu dia como um prejuízo". De maneira geral, os investidores costumam ver o prejuízo da seguinte forma:

Recusa. Não é de surpreender que a maioria dos investidores não esteja conseguindo os resultados que deseja no mercado. A razão que me levou a essa conclusão é que a maior parte deles opta por investir com os olhos fechados, os ouvidos tapados e o sistema nervoso desliga­do. De que outra maneira você poderia tolerar um investimento que vai contra você, dia após dia, sem riscos definidos, até que o problema fiquetão grave que mesmo o analgésico psicológico que você toma por conta própria já não pode mais afastar a dor? A recusa não ajuda em nada.

Inatividade. Como diz o velho ditado: "se você dormir no chão, não pode cair da cama". Infelizmente, muitos investidores agem dessa ma­neira para evitar riscos. Se você não disparar o gatilho, não terá como errar o alvo. Mas a verdade é que você tem de sacar o revólver e mirar — sabendo no que está atirando — antes de puxar o gatilho com con­fiança. Nos investimentos, quando você desenvolve uma abordagem que define um enfoque específico e se prepara psicologicamente para en­frentar uma perda (o medo real), entendendo que esta não é apenas inevitável, mas essencial, você adquire a convicção de que deve explorar as oportunidades do mercado, e não deixá-las escapar. Quando perder oportunidades se torna mais frustrante do que per­manecer inativo, os investidores começam a disparar os gatilhos e a acertar os alvos!

Confusão. A confusão e a incerteza resultam da falta de uma conduta bem-defínida e elaborada antes de se fazer um investimento. Você deve reconhecer que reavaliar os custos das férias de sua família no momen­to em que está passando por um período difícil não é uma excelente estratégia de investimento. Quanto mais emoções puder afastar de seus investimentos, maior será sua lucidez para tomar as decisões no merca­do. Jeffrey Silverman deixou isso bem claro em uma entrevista para o livro O jogo interior dos investimentos: "Evitar que qualquer emoção in­fluencie sua tomada de decisão é uma questão de disciplina (...) Não aja de maneira emocional ao entrar em um negócio — livre-se da emoção que sente em relação à sua posição e liberte-se da emoção quando dei­xar o negócio".

Raiva. Reagir ao mercado com raiva é como prender a respiração es­perando que o vizinho fique roxo. Não funciona! Sua raiva não modifica­rá o prejuízo de maneira positiva — mas, sem dúvida, poderá influenciá-lo negativamente, fazendo de um pequeno prejuízo uma enorme perda!”

Texto extraido do livro “O Tao das Finaças” de Robert Koppel.

Veja como dominar o medo usando o “Position Sizing”

Começa a último mês do ano

E com ele a nova temporada de projeções pessimistas. Ou realistas?

O cenário traçado para a economia brasileira em 2009 se deteriorou, de acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira.

As projeções para a taxa de crescimento do PIB no próximo ano recuaram para 2,80 por cento, ante estimativa anterior de expansão de 3,0 por cento. No caso da inflação, os analistas e empresas consultadas pelo BC acreditam que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrará 2009 com alta de 5,25 por cento, acima dos 5,20 por cento estimados no levantamento anterior.

Em termos de juros, a aposta é que a Selic estará em 13,50 por cento em dezembro do próximo ano, acima dos 13,31 por cento estimados na pesquisa anterior e levemente abaixo do atual patamar de 13,75 por cento, que deve ser mantido pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC na última reunião de 2008, que acontece na próxima semana.

General MORTOS!

Na Índia, com a ousadia dos paquistaneses; em SC com a fúria da natureza; o dinheiro nos EUA com a incompetência e descaso...

Num FORDE... é CRISER!

Pode esperar um novo bailout para as montadoras para breve. Pelo que gastaram com o sistema financeiro, 25 bi de dolares é trocado! Eu ainda vejo como uma solução razoável criarem a AGMM: American General Multi Motors. Já que é para doarem dinheiro do povo... coloca tudo no mesmo saco! Por que ajudar uma só?

Bolsas da Ásia, Europa e os minifuturos americanos prenunciam um dia de quedas também aqui na Bovespa.

Se não armarem uma outra TRAP... hoje não vai ser fácil! ^v^


29.11.08

Análises: do Retrovisor ao Binóculo

Estamos sempre procurando entender o passado para nos situarmos no momento que vivemos. Mas o que vai definir o nosso sucesso pessoal e os resultados positivos (ou não) no que diz respeito aos investimentos: se o fundo já chegou, e o pior já passou é difícil afirmar.

A situação da economia continua bastante comprometida e os reflexos na vida dos cidadãos ainda serão percebidos.

Muitos postos de emprego irão desaparecer, negócios baseados em culturas ultrapassadas e processos obsoletos vão deixar de existir, para uma inevitável reengenharia na distribuição de forças do planeta ser desenhada, e, a partir dela, novos paradigmas serem criados.

Quais países, setores e empresas terão destaque neste novo cenário? Estas são as perguntas do momento! E as respostas...?


Continua no Monitor Investimentos


28.11.08

Depois do nada...

Black Friday... as liquidações após o dia de ação de graças devem dar uma idéia de como os consumidores americanos estão contidos nos seus gastos. Os mercados em WS funcionam por meio período, e, não fosse o último pregão do mês para os fundos ajustarem suas carteiras, certamente nada de excepcional aconteceria. E eu também não estou muito animado...

Conforme o STS a indicação de ontem no INDFUT não era mesmo confiável e acabou sendo um alarme falso. Também, com tão pouco volume o dia mostrava que era para não fazer nada. Hoje, depois de um price rejection bem sobre a MDT, as médias se cruzaram dando compra aos 36.600. Esta região entre 37 e 37.200 pode oferecer resistência. Quem entrou pode ir subindo os stops no índice e acompanhando o movimento com o dedo no gatilho!

^v^

27.11.08

Ibovespa em 2 tempos

No diário
No semanal

Ambos em escala logarítmica, em "foto" tirada no início da sessão.

Trianglinho, caixote... ou caixão? ;-)

Dia de Ação de Graça???

Não!

Ninguém vai "doar" ações!

Hoje, nos EUA, comemora-se o "Thanksgiving" - o tradicional "Dia de Ação de Graças" - e as bolsas não funcionam na Matriz.

Teremos que andar por nossa conta. Andar...?


Mais provável que seja um outro dia modorrento para os mercados, apesar da alta na Ásia e Europa. Mas ninguém vai dar ação "de graça", apesar dos preços estarem ainda muito "baratos".

Dentro do mosaico que eu tinha desenhado há um tempo atrás, a coisa vem seguindo fielmente o script:

Tivemos um topo mais baixo, buscamos o fundo - que ficou pouco acima de 30k, vamos nos mantendo dentro do caixote (agora é de se esperar uma ida até a faixa de 40/42k), o Natal deve mesmo ser o mais triste dos últimos anos, e até uma retomada da tendência de alta isto ainda deve levar um bom tempo! Mas vai saber...?

A sexta-feira que segue ao feriado americano costuma ser um grande termômetro para as vendas de fim de ano. São promovidas "queimas de estoques" nos principais magazines com mega liquidações (mais ainda do que já estão fazendo) para atrair os agora contidos e descapitalizados consumidores, que, com dívidas e sem crédito, não vão poder recorrer ao uso do cartão.

Enfim, com os atentados em série na Índia (sem falar no estado de calamidade em Santa Catarina, depois de tantos dias de chuva) o dia mais parece ser o de Reação e Desgraças!

Não dá para se esperar muita coisa hoje... é até possível que o volume não passe de R$ 4 bi na Bovespa.

Enquanto isso a gente fica trocando idéias no Fórum MI...

^v^

26.11.08

Pergunta inquietante


Feita no Fórum Monitor Financeiro:

"Na possibilidade do mercado um dia se recuperar, para formar uma carteira de ações que empresas ou setores vocês acham que teriam mais chances de destaque no médio ou longo prazo? " Janus


Pensar pontualmente em empresas é mais complicado. Tudo vai depender do cenário mundial, valendo olhar para as que são mais voltadas ao mercado interno. Caso a Petrobras mantenha seus planos de perfurações em águas profundas, a Confab também pode se beneficiar como uma de suas fornecedoras.

Setorialmente, as elétricas e operadoras de telecomunicação têm uma base consolidada de clientes e as tarifas reajustadas por contratos, o que indica um baixo risco. Os grandes bancos também podem se fortalecer com as fusões e solidez do sistema financeiro nacional. Enfim, não dá para ser conclusivo em uma situação incerta.

Mas, na minha opinião, a linha é essa. Quem quiser acrescentar...

Aqui ou lá! Abs ^v^

25.11.08

PermAlert!!!

Isto pode ser visto como um hibridismo neologístico(?)!

Mas é o estado em que me encontro diante esta enorme volatilidade (que não cai, ao contrário e na contra-mão do que vinha ocorrendo com o mercado). Fico em Alerta Permanente!!! E procurando pares que façam contra-ponto às minhas leituras. Sempre busco quem esteja em um nível acima, ou observando fatores por mim desconhecidos - ou ignorados até então.

Um de meus achados foi o retorno do KB em seu TiB. Junto com seus parceiros eles vêm agregando muita informação e estudos da maior valia sobre a situação macro atual e os desdobramentos que têm origem no momento econômico (e do mercado) americano.

Já aderi e me solidarizei faz algum tempo ao "status" de neutralidade, declarando-me, inclusive, um PermAlert (sic).

E como não consigo me rotular como Bull ou Bear, no máximo posso ESTAR ao lado de um ou outro, também não poderia me auto-definir como um investidor agressivo.

Sou na maior parte do tempo - e analisando a questão sob o prisma de gerenciamento do patrimônio como um todo - um conservador.

Entretanto, e dependendo do timeframe, sei que assumo com pequenas parcelas do total que administro, posturas relativamente agressivas.

Digamos, então, que me situaria como um trader dinâmico. Ciente de que as verdades da bolsa podem não durar mais do que 15 minutos, consigo com meus sistemas e interfaces de negociação a agilidade necessária para reverter posições.

Penso que aquela máxima onde "melhor ser o último na fila dos ricos, etc..." é extremamente válida. Mas pelo money management e uma gestão de risco, podemos estabelecer stops (uma defesa falha e parcial, concordo) minimizando a nossa exposição. Em derivativos (basicamente com opções) procuro sempre estar travado (ou combinado), o que já oferece uma proteção natural. E esta é, a meu ver, a maior deficiência do INDFUT (ou WINFUT) da BM&F. Apenas a série atual possui liquidez, não permitindo nem que se abra o calendário. O sentido do hedge acaba sendo relativo para quem não carrega grandes posições e seu uso fica mesmo restrito à especulação (bastante temerária com esta volatilidade - embora lucrativa).

O certo é seguir a maré, o que procuro fazer como trend follower, mas são nas reversões que temos a maiores chances de ganhos. O mercado deve reagir antes da recuperação plena da economia. A expectativa por novos pacotes (depois do Citi, ainda falta o bailout às montadoras) e atuação da nova equipe do Obama devem alentar as bolsas - mesmo que nada seja definitivo.

Como não tenho domínio e pleno acesso aos mercados americanos não dá para usufruir de outros instrumentos mais complexos (i.e. PUTS) para balizar as operações.

Assim sendo, tento estruturar cada uma com seu devido objetivo de retorno. Do jeito que as coisas andam incertas, mal consigo enxergar o médio prazo. E por mais incrível que pareça, do curto tenho passado direto para o longo!?!?

Estou inclinado a ir recompondo uma carteira para daqui a 10 anos, buscando diminuir seus custos sempre que houver oportunidade.

Ainda acredito no trading range... a cada teste na proximidade dos extremos (30 e 42k) reavalio e ajusto minhas estratégias. Até que o cenário se modifique mais conclusivamente e uma nova conduta, de minha parte, tenha que ser adotada.

Vou tentando ouvir a música que o DJ SPX tocar... sem sair da cadeira, porque a chance de ouvir um violino e "dançar" também é grande.

Entre o rock e a valsa... listen to the music!!!

24.11.08

Análise técnica X fundamentalista: a eterna polêmica.


O mercado tende a se recuperar antes da economia


O mercado costuma se recuperar antes da economia. Isto porque, da mesma forma que potencializa o caos, ele antecipa as melhoras. E desconta tudo! Sobe no boato - de escada - e cai no fato - desce de elevador (quando não pula pela janela, como foi nesta queda). São mais frases de efeito que o povo adora.

Mas a oportunidade de estudar, com o tempo ocioso (nem tanto) em termos operacionais, foi uma dádiva. Quando falei em "comprar" ações, o que torna o ganho fácil nos bull markets, hoje, esta decisão tem que ser mais bem fundamentada.

Não com base apenas em números, ou simplesmente pela leitura dos gráficos, o cenário ainda está em mudança... é preciso antever como esta nova ordem mundial será formada. Quais países e empresas terão espaço para crescer, quando as transações comerciais tornam-se mais seletivas. Que setores serão mais promissores?

Na parte educacional, muitos cursos para formação de investidores vinham sendo oferecidos (até de graça). Ora, se a finalidade é social - para inserir novos participantes no mercado - isto é compreensível. Mas quando se objetiva lucrar a qualquer preço em cima dos já penalizados investidores, com interesses ocultos de levá-los a operar por determinada corretora, considero isto bastante questionável. Se for para socializar vamos ensinar educação financeira aos mais carentes e necessitados!

Muitos parentes, amigos, ou amigos de amigos, vieram me perguntar durante este tempo (aliás, desde antes da inversão nos mercados) o que poderiam comprar com a bolsa batendo recordes seguidos. Minha "dica" era invariavelmente uma só: LIVROS! Orientava que guardassem seu capital para outra ocasião mais propícia. Acima de 70 mil pontos, naquela toada louca, só mesmo um maluco para entrar. A correção estava anunciada... só não se sabia quando viria e em que intensidade. Até nisto ela superou expectativas.

Quem ainda estava com o pensamento bull (de alta) sofreu. Os investidores acostumaram-se a comprar nas quedas, acreditando que sempre seriam "realizações saudáveis" para corrigir o mercado em sua tendência altista. Gráficos de drawdown foram compartilhados, e, tudo levava a crer tratar-se apenas de um fundo mais alto. E os topos e fundos mais baixos se sucederam...

Talvez, agora, estejamos perto de consolidar o "caixote". Dentro do desenho em "L" deste movimento, podemos estar entrando em um período de lateralização. Mas assim como não cai nem sobe em linha reta, esta congestão não vai ser uniforme e horizontal. As balizas, por enquanto estão em 30 e 42 mil... enquanto isto for verdade, operar nos extremos deste trading range pode trazer bons resultados. Mas as verdades mudam na bolsa a cada 15 minutos.

Um repique pode ser mais ou menos prolongado durante esta fase. Para uma retomada da alta, seria preciso a superação do ultimo TH (acima de 73k)! Passando de 45.000, o Ibovespa pode ganhar consistência - mas sempre haverá a possibilidade de tocar mais um "violino"!

Então vamos adiante, seguindo a maré. Quem "beliscou" na sexta-feira, já está ganhando mais do que o CDI de todo o semestre! Obama vai chegar... já está chegando... as medidas anteriores e os novos pacotes (bem como a definição de sua equipe de trabalho) devem dar a tônica daqui para frente. Mas sem otimismo exagerado ou descrença no que estamos vendo. A hora é de sermos REALISTAS! Os olhos não mentem! Ler o passado é fácil (basta chamar o retrovisor), o futuro é incerto... mas o momento é ESTE!

E eu continuo com os pés no chão! Tentando disseminar, além das estratégias de mercado, que se fomente a necessidade de levarmos educação financeira a todos. Desde as primeiras idades, mas também aos adultos, responsáveis pelas famílias e gestão de seus patrimônios. A matemática, neste caso, é bem mais simples, mas a tarefa não menos complexa. A conscientização de sua importância será um marco na virada para este novo mundo que estamos presenciando o surgimento!

Que cada um faça sua parte! ^v^


E participe do Fórum Monitor Investimentos

21.11.08

Exercício de Educação Financeira

A matemática é uma ciência exata, mas a vida é um mistério permanente. Ao utilizarmos uma HP12C podemos, de posse de alguns números, taxa de juros e período, trazer o valor futuro para o presente, mas ainda não decobrimos uma forma de antecipar o que está por vir. Muito menos uma maneira de retornarmos ao passado e modificar os acontecimentos.

Admiro muito os que dizem não se arrepender de nada que outrora tenham feito. Não me incluo nestes casos. E duvido até que estes falem a verdade. Não há nada que a experiência vivenciada não pudesse servir para melhorar as decisões quanto a determinados eventos que influenciam no momento atual. O tempo não pára! Mas, com isso, nós evoluímos...

Fico imaginando como seria a minha infância se eu tivesse acesso a tantas informações, recursos e a capacidade de aumentar minha rede de relacionamentos. Como tudo isto facilita a vida das pessoas. Por outro lado, abre-se mão de prazeres reais, que são trocados pelo mundo virtual. Quem sai ganhando?

O fato é que sendo impossível voltar atrás, podemos projetar como gostaríamos que seja a nossa vida daqui a alguns anos. E ela vai depender exclusivamente do que estamos fazendo agora. Além de nosso crescimento como profissionais e seres humanos, temos um legado a deixar aos nossos filhos e para a sociedade como um todo.

Transmitir os verdadeiros valores, e dar condições para que haja pleno desenvolvimento de todas as potencialidades das crianças, questões éticas, morais, deveres cívicos, e, acima de tudo, fortalecê-las no seu caráter, criando um ambiente para se tornarem fortes emocionalmente e controladas em termos financeiros.

Li outro dia que o dinheiro não traz felicidade. Mas a sua falta pode gerar infelicidade. Muitos casais que brigam têm no motivo uma origem financeira. À população carente, que aumenta assustadoramente, não são oferecidas as mesmas chances para que seus filhos possam ser inseridos no mercado de trabalho. Agora em mais uma "medida-remendo", anunciam um plano de cotas sociais / raciais para oferecer vagas a universitários de baixa renda, com sub-cotas aos que se declarem negros, índios ou pardos!?!

Ao invés de melhorarem as escolas (desde a educação infantil, até o ensino médio, passando pelo Fundamental I e II) apelam novamente ao recurso da esmola. "Bolsa-tudo"... e a qualidade dos futuros profissionais, mesmo depois de formados (caso consigam concluir seus estudos) estará nivelada por baixo, e mais uma geração pode estar sendo comprometida.

Que cada um faça sua parte, porque dependendo das atuais "mentes pensantes" continuaremos um país de analfabetos políticos e financeiramente. É só fazer a conta - e o dever da casa!

19.11.08

Mais um dia volátil

De nervosismo... e quedas? Agora foi a Espanha a ter sua primeira retração no PIB... e as grandes montadoras dos EUA imploram por socorro urgente, sendo rechaçadas no Senado. Vão deixar irem à falência?

Como a indústria automobilística, com sede em Detroit, constitui-se em uma das bases da economia nos EUA (outra grande era a esfacelada construção imobiliária com os financiamentos ad eternum), cada dia que passa torna-se mais crítica a situação do país, altamente dependente do consumo, e à beira de um colapso. Seria a melhor alternativa juntar as três grandes - GM, Ford e Chrysler - em apenas uma empresa? A AGMM - American General Multi Motors. Ou, a esta altura, o senador do Alabama estaria certo de que mais vale acabar com tudo e reiniciar do zero?

Terá o presidente Obama condições para reverter este cenário? Como disse o Zarautz, entre os dois candidatos ele era o melhor - um fio de esperança para mudar, mas como ser humano, mesmo que seja extremamente feliz na escolha de sua equipe, será ele dotado de poderes de um super-homem para solucionar este estado caótico?

Aqui no Brasil vamos levando e tentando nos defender das marolas, pororocas ou tsunamis alheias. Quando tudo se encaminhava bem, vem esta crise para tumultuar a festa. Apesar disso, foi divulgado o 2º menor índice de desemprego (7,5%) de toda a nossa história! Houve aumento no número de carteiras de trabalho assinadas, mas devemos levar em conta a nossa grande parcela de assalairados e comerciantes informais, ainda desestimulados a pagar a enorme quantidade de impostos que compõem a nossa carga tributária.

Enfim... a bolsa.... esta pode até repicar, está próxima de seu fundo, existem suportes, o caixote está amarrado (por enquanto) mas sem a possibilidade de um descolamento iminente, teremos condiçoes de remar contar esta corrente negativa da maré internacional? A Bovespa é um fiel espelho do comportamento no S&P. Enquanto lá estiver ruim...

Este ano praticamente acabou... o Natal no mundo não será dos mais felizes, e fica a incógnita para 2009. Mais um ano de desaceleração no crescimento, com retração da atividade econômica, mais países entrando em recessão, e um sentimento de desânimo generalizado...

Salvar-se-ão alguns países da America Latina, com o Brasil à dianteira? Seremos a nova potência emergente com posição de vanguarda. Condições para isso nós temos. Enquanto a China, apesar de sua imensa população (que não consome), é dependente das exportações para escoar o que produz, temos um grande e promissor mercado interno capaz de alimentar boa parte de nossa economia. Mas isso vai ser suficiente? Torcer não custa nada!

Participe do Monitor Financeiro ^v^

18.11.08

Petrosal (ou Petrossauro...)

Ontem, por mero acaso, diria até en passant, assisti a um trecho de um programa na Globo News chamado Espaço Aberto versando sobre o tema "Ciência e Tecnologia".


Uma reportagem muito boa, transparente e demonstrando isenção, com vários professores e pesquisadores envolvidos no projeto sendo entrevistados e compartilhando suas opiniões - verdadeiras aulas, altamente esclarecedoras no que diz respeito às dificuldades que a Petrobras, ou seja lá quem for se aventurar por estas searas, irá encontrar para tornar viável o sonho do país auto-suficiente, quiçá exportador de óleo.

Como não sou especialista no assunto, apesar de bastante interessado e de conversar quando tenho oportunidade com meu cunhado, geólogo, funcionário concursado e de carreira da Petrobras - atualmente morando no exterior como responsável na estatal pela área de prospecção no Caribe - percebo que até chegarmos ao ponto de comercialização da commodity extraída das profundezas (além delas, da camada abaixo do sal) muito estudo, dinheiro e tempo serão gastos.

Não existe ainda tecnologia, muito menos mão-de-obra qualificada para esta empreitada. E pior, sofremos com a perda de profissionais gabaritados, que, quando enviados em missão ao estrangeiro, são invariavelmente cooptados a migrar para multinacionais concorrentes de outros países.

Bem, sugiro, a quem puder, que tente ver uma outra reapresentação do programa, de certa forma até investigativo. Chamou-me a atenção o que foi declarado por um dos participantes da pesquisa quanto aos custos de perfuração, extração e transporte do óleo bruto para a continente - somam números estartosféricos, que praticamente tornam inviável a comercialização do óleo com o preço do barril abaixo de U$70. Geólogos e geofísicos, ainda buscam uma fórmula de penetrar na camada de pré-sal, manter os caminhos abertos (pois há uma tendência à rápida acomodação e retorno ao estado original, com bloqueio dos acessos) e introduzir dutos que resistam à pressão existente nestas profundidades (7km).

O mais interessante é que, desses estudos, outras descobertas em paralelo estão sendo feitas, considerando a possibilidade de aproveitamento da energia das marés e correntes marítimas, ocasionadas pelo indispensável mapeamento destes fenômenos naturais para dimensionamento nas estruturas das plataformas (verdadeiras "cidades-ilhas") e dos navios-plataformas. A coisa é muito mais complexa do que parece.

Se estão vendendo terrenos na lua ou ovos no interior da galinha, é tudo fruto da pressa e dos arroubos ufanistas de nossos governantes ávidos por promoverem o Brasil à condição potência energética. A história é impiedosa com bravatas, com quem fica atrasado, quer se antecipar demais, ou vai na contra-mão do progresso. Trazendo isto ao mercado, as ações da Petro, de tão depreciadas podem até voltar a subir , como rezam os gestores de fundos encarteirados no papel, mas, temos, como pequenos investidores, que avaliar tudo com extrema parcimônia!

Penso particularmente, e baseado no pouco que sei e vi, que deveríamos investir mais no fortalecimento de uma matriz energética alternativa, usando fontes limpas e renováveis, como o "embarreirado" biocombustível, a energia solar, a força dos ventos, das marés, tudo aquilo que abunda (ops) naturalmente em nossa tupiniquinsland.

Mas quem sou eu para achar alguma coisa. Afinal, o que eu acho não vale muito mesmo! Mas tem sempre algo além que os colaboradores do Monitor Financeiro enxergam na minha frente! ^v^

17.11.08

Markets and Facts


O fato é que o mercado continua em uma maré ruim, que é reflexo do que passa a economia mundial. Uma crise que começou no âmbito financeiro mas envolve fatores conjunturais e estruturais bem mais delicados.

Hoje foi a vez do Japão entrar tecnicamente em recessão. Após encolher seu PIB em 0,9% no trimestre anterior, agora, com a baixa de 0,1, ratificou as condições para assumir o quadro recessivo.

Empresas transnacionais registram amargas perdas que resultam em cortes nos postos de trabalho. Algumas ainda mostraram lucros recordes, mas frutos de exercícios passados. O problema é daqui para a frente. Dolar pressionado, preço do óleo despencando pela redução do consumo, e as grandes economias cambaleantes.

O encontro do G-20 não serviu de muita coisa em época de transição na liderança do maior de todos os países. O Bush nunca se pareceu tanto com a rainha da Inglaterra. Fez pose de estadista, mas seu poder de decisão está quase nulo. Demonstra mesmo estar apenas esperando seu cadafalso para o ostracismo. E a história vai julgá-lo, talvez como o pior de todos os presidentes dos EUA. Mas as páginas deste livro estão sendo viradas... e agora fica a expectativa pela retomada das reuniões na OMC.

O Brasil continua no dilema entre ajustar os juros e conter a inflação, mas serão os investidores - liderados pelo movimento na matriz de Wall Street - que vão dar a tônica das bolsas. E a percepção deste encontro dos líderes das 20 maiores potências (?) - entre emergentes e decadentes - é de que pouca coisa concreta ficou definida, e produziram mais uma lista de intenções (47 medidas) que deve trazer mais rigidez aos controles e regulamentação para o funcionamento dos mercados.

Onde podemos deixar nosso dinheiro rendendo de forma segura? Como vai ficar a questão do crédito? E a volta da liquidez? Renda variável envolve mais riscos, e a seleção dos ativos torna-se, cada vez mais, imprescindível. Quais serão os safe-sectors (se é que com esta crise isto existe!).

No Brasil, temos um sólido sistema financeiro (que está se redesenhando com fusões e formação de novos conglomerados buscando seu fortalecimento), ainda temos algumas empresas enxutas com foco voltado para o consumo, e as prestadoras de serviço - na geração e distribuição de energia, como também o setor de telecomunicações - com suas tarifas reajustadas por contrato e base de clientes consolidada. No pregão da Bovespa o índice (IBOPEVA?) cai e as ações da ELET, CESP, TBLE, CPFE (entre outras elétricas) valorizam, assim como LAME, PCAR e as empresas de telecom BRTP, TIM, VIVO, TMAR. Sem falar da Embraer, com novos contratos e melhora no câmbio (para quem exporta).

Fly by night, fly to quality...

Melhor andar pela sombra do que no fio da navalha! ^v^

Mais no Fórum Monitor Financeiro


16.11.08

O Papel da Mulher nos Investimentos

Ultimamente, com a crise que assolou os mercados financeiros, muitas empresas redirecionaram (chegando até a cortar) parte de seus investimentos futuros.

Em regra geral, dos períodos de dificuldades é que surgem as melhores chances para uma reflexão que oriente novas posturas e conduza ao crescimento, fazendo despontar novos líderes e potências econômicas.

Tanto no que diz respeito ao mundo corporativo como às finanças pessoais, as adversidades podem ser vistas como oportunidades de evoluirmos e nos fortalecermos diante os novos cenários. E cada vez mais torna-se relevante o papel da mulher no mundo atual, seja como mãe, chefe de família, profissional competente e gabaritada.

Também em relação aos investimentos elas vêm assumindo uma posição cada vez mais participativa e influente nas decisões que envolvem a utilização do dinheiro. A educação financeira é para todos. Batom e cifrões combinam sim!

E os artigos de Álvaro Modernell e Marisa Gabbardo - da equipe Mais Ativo$ / Educação Financeira - republicados no Monitor Investimentos, reforçam esta tese!

Santa Elisa Vale, Aracruz, Sadia...e a falta de informação!!!!!!

Um aspecto muito importante da atual crise das empresas está na falta de informações sobre o andamento do mercado. Desde 2 de maio indicadores técnicos demonstram que o dólar teria este comportamento que levou a esta situação.

Fiz uma serie de análises em meu Blog e tenho acompanhado com atenção este cenário entre outros.

Dêem uma olhada no blog especialmente na seqüência de analises sobre o Dólar: (Analises Dólar).

14.11.08

Aqui jaz a série K

De KILO... perder peso é sempre bom, mas dinheiro não é não!

Esgotando o tempo regulamentar, segunda-feira não haverá prorrogação...


Aquela (a opção) que puder ser exercida vai ser transformar em papel... o resto vira pó!

Pelo jeito, apesar desta melhora súbita que está se tornando rotineira na segunda parte do pregão em Wall Street, aqui não tivemos como acompanhar. A Vale e Petro, grandes carros-chefe do Ibovespa - IBOPEVA? - continuam sentindo o peso do preço das commodities (e a força da gravidade).

Ficamos pela K20 na Petro, exceto caso um feroz ataque dos vendidos em fúria resolva fazer dela um exercício português, ora pois! Aqui jaz a K22, sem chances de ser ressuscitada!

Na Vale, será que salvarão a K24? Ou será mais uma a "empoeirar" o cemitério nos minutos finais. Ela está bem próxima de receber a extrema-unção. No máximo pode ser exercida por algum "gajo" desavisado, que queira pagar as corretagens e encarteirar o ativo.

No mais, semana que vem a história é outra... ou pode continuar a mesma.

Afinal, tem muita gente que adora um flashback. Mas nem tudo...

VALE A PENA VER DE NOVO!

Bom final de semana aos amigos e leitores do Seagull Trading

E também aos que colaboram no Fórum do MI!

Abs ^v^

13.11.08

Série LIMA... um limão!

Acho que já está na hora de começar a empacotar as boletas e migrar as estratégias com opções para a série L...

LIMA, no alfabeto aeronáutico!

Será o último vencimento de um ano que passa voado... até a metade ia bem... depois do São João...

Muitos novos investidores aprenderam o que é um BEAR market... os filhos da alta ficaram órfãos! Conheceram o circuit breaker (com vários repetecos para nunca mais esquecer), e experimentaram o florescer de uma crise. Desaquecimento, desaceleração, recessão, depressão... ninguém sabe qual será o fim desta história. Mas ela vai ficar nos livros, e se juntar aos registros de outras crises, 1929, 1987, 2000, apenas para falar das mais recentes.

Vejam a retrospectivas das crises (crashes) AQUI

Talvez a grande diferençadesta para as anteriores, tenha sido o fato que mesmo nos piores dias de sell-off, o pânico parecia "controlado". Será que isso existe? mas muitos investidores mal acostumados comépocas duradouras de fartura - permeada por alguns sustos, com certeza (WTC, China Day, etc) acreditavam ser apenas mais uma correção do BULL market.

Quem foi ágil, zerou a carteira em tempo e aprendeu a operar na ponta de venda ainda conseguiu salvar o lucro do carregamento desde 2002, e fabricar uns cascalhos com a especuleta no índice, venda de papéis alugados, e lançamento de opções, ou demais estratégias combinadas com os derivativos.

Enfim, que grande oportunidade de aprendizado!

Se o patrimônio estiver íntegro (ele pode ter até aumentado), ou mesmo perdendo alguns anéis salvaram-se os dedos, certamente a grande massa estará melhor preparada para os novos tempos. Quanto a fartura voltar - quem duvida que um dia ela volte? - as lições aprendidas, mesmo que tenham saído "caras" - terão grande valia na formação de um perfil mais técnico nos novos investidores e especuladores do sec XXI.

Talvez logo no início da próxima década... dirão os mais realistas (serão otimistas?)

Muitas incertezas, dúvidas, e, muitas delas, quando descobrirmos as respostas... mudam-se as perguntas.

Quais serão os novos paradigmas, axiomas e verdades do mercado? Que durem mais de 15 minutos...

Vamos então fazer da fruta... uma limonada!!!


Bons negócios.

^v^

Sempre tem algo mais no Fórum Monitor Financeiro

12.11.08

Resultado recorde!!!

A Petrobras apresentou lucro líquido de R$ 10,852 bilhões no terceiro trimestre de 2008, o que representa uma alta de 96% em relação ao mesmo período de 2007. O valor é recorde. De janeiro a setembro, a Petrobras registrou um lucro líquido de R$ 26,56 bilhões, um avanço de 61% sobre os nove primeiros meses do ano passado. Nesta base de comparação, o resultado também é o maior da história.

Resultado Recorde... Queda Relâmpago! Tudo certo que o preço do barril também está em queda livre... mas e os poços milagrosos???

Hoje divulgaram mais novidades:

A Petrobras encontrou indícios de petróleo em dois poços em novembro, segundo informações da página da Agência Nacional de Petróleo (ANP) na internet. O primeiro indício fica no bloco MLS, na Bacia de Campos, no mar. O segundo fica na Bacia de Santos (S-M-322), também no mar.

....

Parecem ser notícias oportunistas... que já não encantam mais os investidores. O pré-sal com este preço do óleo ainda tem viabilidade?

...

Que coisa hein... depois de um resultado destes ela cai mais de 7%.

Assim não tem santo que ajude!

Sabem qual é o motivo?

Desemprego na Grã-Bretanha?

Dados corporativos ruins nos EUA

A iminente quebra das gigantes automobilísticas?

Recessão na Europa?

...

Hummm... só faltava essa:

...

Obama deve seguir os passos de Lula, diz economista
Segundo John Coatsworth, reitor da SIPA, a Escola de Relações Internacionais e Administração Pública da Universidade Columbia, assim como Lula, Obama deve adotar uma política econômica sensata para poder avançar em políticas sociais progressistas
Será que vão lançar o "Bolsa-Obama" na América? ;-)

^v^

11.11.08

WINZ8 - contínuo

Eu nunca posto o gráfico do MINI pq acompanho o futuro pelo IND.

Hoje é barro... depois do pacote chinês (ou embrulho?), na Ásia, o MSCI de Hong Kong caiu 5%, e até o óleo perde 4%, indo abaixo de U$60. Assim, nem Petro segura... a caminho do Vale!

Antes da abertura o S&P (mini) perde 1,95% e o nasdaq -1,80%. Na BM&F já passa de -3%. "Se" tivesse rompido a LTB o pivot apontaria 54k, mas mal conseguiu fazer um pullback por baixo do canal.

Só que o "se" não conta...

Esse OCOi está no desejo (in)consciente de todos nós. Fechando o GAP em 33.855... quem sabe!

Prefiro acreditar no caixote do que em movimentos explosivos e definitivos de inversão... o fundo é 30k. Ficar de lado, a esta altura, mesmo volatilizando, já seria melhor do que mais quedas...

^v^

10.11.08

IBOPEVA - Índice da Bolsa de Petro e Vale


Se não fosse Petrobras e Vale - as ações preferenciais e ordinárias - somarem 33% no índice da bolsa de São Paulo (ou do Brasil?)... em quanto estaria hoje a queda do Ibovespa?

Não seria mais justo, então, chamarmos o índice de IBOPEVA?


Salvem as commodities...

PETRO + VALE =

Um terço do Ibovespa!

REZEM!!!



Fórum Monitor Financeiro

Negócios da China

Pacote de US 586 Bi dá alívio aos países vendedores de commodities. Com o mundo "desenvolvido" em recessão, a continuidade nas transações comerciais vai depender do consumo nos mercados emergentes, e suas economias manterem um ritmo - mesmo que reduzido - do crescimento, para darem vazão aos produtos.

Haja demanda...

As notícias boas que surgem como um nirvana levantam as bolsas... mas conseguirão dar sustentação a elas diante todo este cenário complicado? Parando de cair, no momento, já seria um grande lucro!

Ontem lendo o Trading in Blog, deixei um comentário na postagem do KB em que ele fala sobre a possibilidade dos mercados ficarem em congestão por algum tempo antes de se recuperarem, da estreita correlação entre o SPX e Ibovespa e cita inclusive a força de uma imaginária linha Maginot na faixa de 44k:

Acredito mesmo (e, com certeza, também torço para) que as bolsas entrem em um longo período de lateralização performando um trading range - aproximadamente entre 30 e 42k no caso do Ibov - antes de qualquer inversão mais definitiva do bear market.

A paridade no comportamento do SPX com o índice Bovespa ficou nítida (inclusive aos que atribuíram a prolongada fase de prosperidade à eleição do Lula - mera coincidência), e, apesar de não termos percebido um topo mais alto neste repique, fica a esperança - eita sentimentozinho traiçoeiro - de que o último fundo (29.435) pode suportar a pressão vendedora - pensamento reforçado pelo price rejection desta região no gráfico diário. A perda destes níveis seria um desalento aos que esperam, ao menos, que a queda se encerre junto com o baixo astral.

Portanto, não sendo videntes para profetizarmos os acontecimentos futuros, só nos resta mesmo acompanhar o mercado e, caso a congestão se efetive, teremos uma fase propicia para acumulação, pensar em recompor a carteira e diminuir os custos de aquisição operando os extremos deste largo caixote (?)...

Talvez, de minha parte, isto seja mais um desejo inconsciente do que propriamente uma leitura isenta.

Penso que estar preparado, e considerar estratégias para o cenário descrito, fazendo uma adequada gestão dos recursos e um efetivo controle das posições, pode trazer boas chances de êxito com favorável relação risco X retorno no longo prazo.

Enfim, é apenas o que eu acho... e isto não vale muita coisa.

^v^


8.11.08

Entusiasmo!!!

Foi com muita satisfação que recebi o convite para colaborar com o Seagull Trading .com - Estratégias de Investimentos.

Ainda mais depois de ler o post "Aprendizado", realmente aprendemos 90% do que tentamos ensinar, depois que comecei com o 'Aviso aos Navegantes" meus trades só melhoraram!!!

Minha vida profissional foi sempre marcada em meu interesse pelo mercado.

Tinha uma necessidade enorme de compreendê-lo e isto fui encontrar na análise técnica.

Neste ponto sou até radical, a análise técnica é a única maneira eficaz de acompanhar o mercado. Os fundamentos assim como os preços oscilam em paralelo resultantes que são da avaliação da realidade feita pelas pessoas.

Através das Ondas de Elliot podemos compreender a verdadeira essência do mercado - o fenômeno psicológico que cria os fatos econômicos.

Compreendido isso podemos criar estratégias operacionais - Set-up de compra/venda.

A ultima e mais importante parte do Trade seria a administração de riscos - "Position Sizing" com ela podemos operar indefinidamente ganhando dinheiro mesmo errando mais trades do que acertando.


7.11.08

Mercado, Empregos e G20

Ainda não dá para ficar muito animado. O IPCA veio alto e quando Wall Street abrir depois divulgação destes dados que indicam o corte de 240.000 postos de trabalho nos EUA, levando a taxa de desemprego a 6,5% (o maior em 14 anos) a coisa deve azedar por lá, e nós podemos seguir a trilha. Por enquanto os futuros do S&P e Nasdaq operam em alta moderada. Mas as bolsas americanas só começam a funcionar a partir de meio dia e trinta!

Desco & Ladinho riding again... together... forever!??!

E este ensaio da Cúpula do G20 em SP sem a presença dos representantes da área econômica de Obama - ainda não escolhidos - não vai servir para muita coisa. Ao menos coloca o Brasil no centro do foco, e promove nosso país a um lugar de destaque entre as nações emergentes... mas de concreto mesmo... só o prédio onde se realizará o evento! ;-)


Sobre o G20:

O Brasil deverá apresentar na reunião do G20, que será realizada neste fim de semana, em São Paulo, propostas para aumentar a participação dos países emergentes no processo de reformulação do sistema financeiro mundial.

Em meio à crise financeira global, a reunião deste sábado e domingo ganha importância, afirmam analistas, e servirá de preparação para um encontro entre os chefes de Estado dos países do G20 no dia 15, em Washington.

Durante os dois dias de reuniões em São Paulo, ministros de Economia e presidentes de Bancos Centrais do G20 deverão discutir as causas da crise, seu impacto nos países em desenvolvimento e cenários para a economia mundial.

Os países deverão apresentar propostas para o aprimoramento da governança no sistema financeiro global.

  1. África do Sul
  2. Alemanha Alemanha
  3. Arábia Saudita
  4. Argentina
  5. Austrália
  6. Brasil Brasil
  7. Canadá
  8. China
  9. Coreia do Sul
  10. Estados Unidos
  11. França França
  12. Índia
  13. Indonésia
  14. Itália Itália
  15. Japão
  16. México
  17. Reino Unido Reino Unido
  18. Rússia
  19. Turquia
  20. União Europeia

O Brasil ocupa atualmente a presidência rotativa do G20, grupo que foi criado em 1999, logo após a crise asiática, com o objetivo de tratar de questões relativas à estabilidade financeira.

Acompanhe o Fórum Monitor Financeiro