Plus500

12.11.09

O Super-Herói brasileiro


Saiu no The Economist

Brazil takes off

O país ganha cada vez mais espaço em toda a mídia internacional




Se tivéssemos que eleger um personagem para nos representar...

Quem seria?


Talvez, pela foto do Cristo Redentor decolando, nosso grande ídolo, o maior super-herói dos desenhos animados e/ou das revistas em quadrinhos, esteja mais para um mistura do Homem de Ferro - e seus propulsores nos pés - com o National Kid (desse poucos se lembram) de braços abertos e sua capa voadora...


Mas, certamente, o nosso maior herói é mesmo esse aí de baixo...



4 comentários:

Evandro disse...

Que tal o Eike Maravilha?

Apesar de ainda não ter me manifestado, sempre passo aqui no seu blog, pra buscar algumas análises e informações. Você faz um belo trabalho por aqui, Seagull. Abç.

austral33 disse...

Caro Seagull:

Estive recentemente em um evento em Goiania. Resolvi ir de carro para conhecer o Brasil.
Algumas coisa animam, outras assustam.
Da rodovia se veem muitas plantações e gado. Quero dizer que a produção existe. Por outro lado,
o custo de transportar esta produção até o mercado consumidor me pareceu muito alto.

abs

Seagull disse...

Valeu Evandro,

Obrigado pela presença constante e incentivo às leituras que compartilho com a turma.

Participe mais dos comentários (também criticando e discordando) que é sempre outro estímulo para interagirmos.

O Eike (ufa, da primeira vez que li pensei que vc se referia à ELKE Maravilha, rs) é mesmo um personagem brasileiro de grande destaque.

Mas em tempos de Crepúsculo - A Saga - não podemos esquecer do Beto Carneiro! ;-)

Austral, este país com dimensões continentais ainda possui muitas disparidades, e o progresso (???) só vai até onde possam existir votos. Dá-lhe bolsa-urna!

Abs ^v^

Polycrav disse...

" Neste Brasil corrupção
pontapé bundão
puto saco de mau cheiro
do Acre ao Rio de Janeiro
Neste país de manda-chuvas
cheio de mãos e luvas
tem sempre alguém se dando bem
de São Paulo a Belém ..."

"...Neste país de pouca renda
senhoras costurando
pela injustiça vão rezando
da Bahia ao Espírito Santo
Brasília tem suas estradas
mas eu navego é noutras águas
E como começo de caminho
quero a unimultiplicidade
onde cada homem é sozinho
a casa da humanidade"

Tom Zé.