Plus500

24.10.08

E os juros futuros


Já que só publicam gráficos de ativos em queda, vamos quebrar a regra: este é o Diário Logarítmico do DI Futuro Contínuo para janeiro de 2010 (DDF10). A janela se abre desde maio de 2004. Se formos analisar, tecnicamente, voltamos para os níveis de quatro anos atrás.

Mas não podemos esquecer que na próxima semana tem reunião do Copom! E a pressão é pela queda ou, no mínimo, manutenção dos juros. Se aumentarem a Selic, a esta altura, haverá chiadeira geral!

O mosaico da política monetária está complicado: inflação parece que não preocupa mais tanto, mas a liquidez dos bancos, base de crédito e os níveis de financiamento... a população parece ter chegado ao limite de sua capacidade de endividamento, o consumo deve arrefecer, sem falar no câmbio... as taxas que servem para os empréstimos não são as mesmas que remuneram os investimentos. E se o momento é de atrair capital estrangeiro para conter a escalada do dolar, uma redução no juro real pode ser temerária.

Talvez mantenham a taxa na expectativa de estabilidade (ou queda) da inflação. Quer opinar e alimentar o debate?

Participe do Fórum Monitor Financeiro

5 comentários:

Fernando Bonilha disse...

O mercado de DI Jan. 10 segue firme em sua tendência de alta rumo aos objetivos técnicos 16,86/18,59.

Denunciando que haverá grande enxugamento na liquidez do mercado.




http://aviso-navegantes.blogspot.com/search/label/Juros

plinio disse...

O DDF10 já foi a 17,72% na máxima de sexta.

Agora ficou na mão do Copom o que fazer com a Selic

Decisão sobre juros nesta semana

Inflação e crise vão influenciar reunião do Copom que começa nesta terça. Analistas dizem que é difícil prever se BC vai manter ou reduzir a Selic.

Com os recentes cortes de juros adotados por países como EUA e Inglaterra para tentar impedir uma recessão global e estimular a economia, o Banco Central de Henrique Meirelles terá que se questionar frente a dois caminhos divergentes: baixar a taxa de juros para combater a crise ou elevar a Selic para controlar a inflação?

Fernando Bonilha disse...

Na minha opinião o BC apenas sanciona o juros corrente no mercado.
Ninguem é maior que o mercado nem o BC.

Seagull disse...

Ola Fernando!

Mas conforme o Plinio escreveu a taxa futura ja bateu 17%. Inclusive os títulos prefixados do Tesouro para 2011 já estão sendo oferecidos nestes patamares.

A NTNF mais longa dispónível (para 2017) foi cotada a 18,50 na sexta-feira.

O mercado acaba andando junto e

criando as expectativas, e o próprio BC - assim como o Comitê de Política Monetária) levam isto em conta. Quando o tesouro faz um leilão primário de títulos ele analisa o quanto estão pedindo como remuneração para o período.

Tentaram alongar o pefil da dívida pública e prefixá-la (tiraram inclusive o IGPM como indexador no pós) mas o mercado foi sedento. O risco ainda é grande para se posicionar no LP, mesmo em RF...

Vamos ver como se comporta o DDF10 nesta semana!

Grande abraço e muito obrigado por trazer seu comentário!

^v^

Seagull disse...

Eu tinha acabado de comentar um post do Plinio lá no Fórum Monitor Financeiro.

Ele publicou um gráfico com a evolução da Selic, e escreveu:

"Com os recentes cortes de juros adotados por países como EUA e Inglaterra para tentar impedir uma recessão global e estimular a economia, o Banco Central de Henrique Meirelles terá que se questionar frente a dois caminhos divergentes: baixar a taxa de juros para combater a crise ou elevar a Selic para controlar a inflação?!"


Minha humilde opinião em resposta:

"Posso estar errado, mas não duvido de um aumento de 0,25 nesta reunião, para diminuir a progressão da tendência sem interrompê-la. Depois virá uma pausa de reavaliação do cenário mundial com a Selic fechando o ano em 14%. A partir de 2009, já com uma leitura melhor fundamentada da situação interna, e com a crise mais dimensionada, os cortes podem voltar em linha com o que estão fazendo os banco centrais do mundo afora.

Já repararam que neste aspecto (taxa básica) estamos sempre descolados e na contra-mão do mundo? Quando sobem lá, a nossa taxa cai aqui, e vice-versa!

A crise só estará relativamente contida quando a Europa e EUA voltarem a subir seus juros... vai ser um sinal de que estão começando a retomar o controle."

Tem mais lá

http://www.monitorinvestimentos.com.br/forum/

Abs ^v^