Plus500

16.2.09

Polêmica, pão e circo!

Postei para debate no Fórum do Monitor Investimentos

Recebi um email do amigo JP que gentilmente ofereceu uma planilha elaborada por ele para controle e acompanhamento dos trades. Junto com ela veio um texto explicativo muito didático que logo pretendo editar e publicar como artigo, disponibilizando também o arquivo no Excel para todos os amigos.

Mas de sua mensagem, uma coisa (entre outras muito bacanas) me chamou mais a atenção: ele afirma que está procurando "fugir" das notícias para focar suas tomadas de decisão apenas nos gráficos, controlando a ansiedade.

Como também exploro a AT, eu, às vezes, fico me perguntando:

Serão os gráficos que fazem as notícias, ou seu desenho é meramente uma consequência delas?

Está aberto o plenário! Segue aqui

Abs ^v^

8 comentários:

Seagull disse...

Disciplina, organização, foco, paciência e independência.

Como discurso - ou até propaganda - as palavras são muito bonitas.

Isto deve ser aplicado a TUDO na vida.

Há quem seja ferrenho adepto da AT e diga "esqueça as notícias"... "não temos bola de cristal".

Mas os gráficos são bolas de cristais??? Eles asseguram o futuro? Acho que é aí que a coisa peca...

Tanto as notícias como os gráficos espelham apenas o PASSADO!

O futuro e o lado direito do gráfico serão decorrências dos acontecimentos atuais. O gráfico pode "indicar" a possibilidade de um comportamento na bolsa (nos índices ou algum ativo particularizado). Mas como hoje em dia todas as praças seguem a mesma tendência, isto não é um Santo Graal, Oráculo, Mágica ou obra de feitiçaria.

Se fosse assim, os "analistas" AFIRMARIAM ao invés de SUPOR. "Se acontecer isso, pode resultar nisso..."

É tudo muito vago e sugestivo. Tirando os caras que trabalham para corretoras, que sabe-se lá como projetam targets para os ativos (que raramente se cumprem), ninguém vem aqui e diz: É para COMPRAR ... que VAI a TANTO. É sempre um PODE... DEVE... os gráficos servem mais como um indicativo - uma guia - do que está acontecendo, do que propriamente daquilo que virá pela frente.

E eu diria até mais... mesmo com a análise dos fundamentos não considerando os fundos e topos, ela ainda é a essência do mercado. O Value Investing... é isto que pode enriquecer um investidor. Ficar nesta prosa de que o indicador está em divergência, a fibo está pensando, se for foi, se não for é porque não tinha que ir... chega a beirar a ingenuidade!

Um ataque terrorista aos EUA quebra qualquer sequência de alta que um gráfico esteja apontando...

Então como é que os fatos não têm importância???

E para concluir: o que eu observo é que os resultados baseados "apenas" na AT não são consistentes ao longo do tempo. São espúrios, o índice de acerto quando fica em 50% já não é ruim! O grande diferencial está na gestão do capital e controle de risco. É isto que faz potencializar os ganhos e estancar o prejuízo mais cedo; de resto é como "cara ou coroa"! Pode subir, cair, ou ficar de lado (e a moeda acabar em pé!?!?!? rs)

Quem é o grafista que ficou milionário apenas operando o que indicavam suas análises?

No máximo, a especulação paga umas cervejas, churrascos, compra um carro novo,... mas rico mesmo fica quem "investe"... nas BAIXAS... e tem paciência para esperar o mercado reagir!

Bem, o assunto é antigo e polêmico. Não é só aquela velha discussão entre AT x AF... o que é melhor?

Para mim, independente da ferramenta (se puder, use TODAS), o importante é dinheiro na conta e o patrimônio crescendo!!!

Abs ^v^

Rodrigo disse...

Apenas para enriquecer a discussão, vou postar um trecho do livro MEMORIAS DE UM OPERADOR DA BOLSA (por Edwin Lefèvre):

"Você perceberá na prática que, se operar como demonstrei, qualquer notícia importante, divulgada entre o fechamento de um mercado e a abertura de outro, está geralmente em harmonia com a linha de menor resistência. As tendências foram estabelecidas antes de as notícias serem publicadas e, em mercados altistas, as notícias pessimistas são ignoradas e as otimistas são exageradas, e vice-versa."

No livro, ele argumenta que o mercado sempre irá tender para o lado que tiver com a menor resistência, seja este o lado dos compradores ou vendedores. Seria como o nosso suporte e resistência que encontramos na análise técnica.

Ótimo livro por sinal. Recomendo.

Rodrigo C.

Seagull disse...

Valeu Rodrigo, ótima indicação de leitura.

Para ilustrar tudo isso, que de fato sempre gera uma polêmica acalorada e debates sem fim (já visitou o Fórum do Monitor para ver? rs) eu coloquei apenas uma pergunta para resposta direta:



A ação da Positivo (POSI3) subiu hoje quase 90% porque:

1) o seu gráfico e indicadores estavam mostrando que isso iria acontecer

2) a notícia (rumor) de uma possível venda fez suas cotações explodirem



????????????????????????????

Abs ^v^

Seagull disse...

Em tempo, acabaram de postar lá um comunicado em negativa:

Na nota distribuída nesta segunda-feira, a Positivo "recomenda que os acionistas não tomem qualquer decisão de investimento com base nessas especulações".

"O objetivo da presente divulgação não é apenas registrar que inexiste, por incompleto, ato ou fato relevante que deva ser divulgado ao mercado na forma da regulamentação em vigor, mas negar a existência de qualquer negociação em curso para venda do controle da companhia", afirma a Positivo.

--------------------------

Onde há fumaça....

Anônimo disse...

Olá, meu nome é Bruno.

Este é mais ujm argumento a favor da análise técnica, mais precisamente da força de um papel.

Já fiquei muitas vezes surpreso com determindas reações de papéis a determinadas notícias, e também pela falta delas!

A conduta ideal é fazer um compromise entre análise técnica (força, volume e resistência de papéis) e fundamentalista (notícias e informações financeiras).

patricia disse...

Seagull gostei muito do que vc escreveu. Também acredito que quem investe na baixa, independente de gráfico, tem maior chance de se dar bem.

Anônimo disse...

Bruno,

o fato é que tomar decisões com base em fundamentos, aqui no Brasil, é um tanto temerário.

Nos EUA o value investing é a base de tudo. Mas a SEC e os órgãos de controle do mercado são rígidos. Aqui existe muita informação privilegiada. E a mídia acaba sendo "agente" dos maiores interessados.

Não dá para levar muito em conta o que noticiam por aí... mas os números das empresas, seus patrimônios, resultados, lucros, prejuízos, dívodas, provisões, etc, tendem a ser reais (considerando a seriedade de cada uma).

Os gráficos são uma representação do comportamento dascotações - e seus volumes. Ações com pouca liquidez são facilmente manipuladas.

Adotam, acumulam, puxam, distribuem e socam!

E o desenho no gráfico fica claro.

Os graficos não mentem... mas as vezes dão cada enganadinha...

Abs ^v^

Seagull disse...

Patricia, é isso:

Pior do que ficar comprado, é ter entrado na alta.

Quem comprou na faxia de 30k do Ibovespa ainda está no lucro: Petro por 17, Vale a 20, Tnlp por 26...

Mas as coisas estão mudando!

O melhor é ficar sempre em estado de alerta e procurar defender o patrimônio.

Lançar opção, vender índice pode até compensar perdas parciailmente. Mas realizar o lucro é que garante a integridade do capital.

Comprando nas baixas (depois que para de cair) a chance de ganhos é sempre maior!

Bjão ^v^