Plus500

12.7.07

E agora?

Há alguns meses, quando a bolsa estava nos 40/45K, alguém citou aqui no blog como "extremos" do índice os 20 e os 70 mil pontos. Outro respondeu: "Nem precisa tanto, a 30 eu entro comprando e a 60 vendendo...".

Me lembro de ter pensado: "Assim é fácil, quero ver chegar lá..."

Pois é, chegou. Estamos praticamente nos 60 mil pontos. E o que, para mim, parecia "fácil" na época, agora mudou de figura. Pelo menos por enquanto, não estou nem pensando em abrir uma venda...

ps: retirei os nomes do post, pois poderia passar a impressão que eu quero confrontar alguém, quando o objetivo é justamente o contrário - mostrar a minha arrogância, de achar que algum dia vai ser fácil...

4 comentários:

Seagull disse...

Grande pOp!

Que boa lembrança! Sabe quem foi que disse que venderia nos 60k? Eu mesmo! Rssss

O pior é que eu ainda comecei a vender antes. Na verdade eu já tinha zerado a carteira.

Depois, arrisquei umas travas de baixa e paguei alguns stops. Na Vale ainda me dei bem na correção para os 69,00 na arbitragem maluca (mas que deu super certo) onde comprei Petro!

O problema é que isso vai minando a confiança dos mais arrojados... e apesar de quanto mais alto estiver o mercado, maior fica sendo a chance de uma queda, mordido de cobra evita até comer salsicha!

E quando finalmente boa parte dos traders mais experientes começarem a desistir das vendas, pode ser a hora delas estarem realmente chegando.

Para nós, que já lidamos com isso, uma inversão seria a coisa mais natural de acontecer. Mas para os novos investidores, que recém entrarm na bolsa, tirando suas economias da RF, um movimento contrário pode ser traumático.

Principalmente levando em conta que, supostamente, não sabem o que é um "stop"! Enquanto o mercado estiver bull, caiu é para comprar! Até quando?

Mas é isso: já cheguei a comprar de novo (além de Petro - que parei de vender quando deu um sinal de fundo nos 46,00), sempre no tiro curto, e com o dedo no gatilho.

Sem dúvida, no caminho inverso - de volta para a RF, perdemos boas oportunidades de obter uma rentabilidade melhor mas, embora sinta uma angústia certas vezes por não acreditar na continuidade do movimento, não seria agora o caso de ficar tt encarteirado, e sujeito a virar o tal famoso "comprador de topo". A RF paga pouco, mas os juros são compostos e o risco é mínimo! ;-)

Pelo menos, com isso, sempre ganhamos mais experiência, o que nunca é demais.

Mas tem situações em que deixar de ganhar nos dá a mesma sensação de perder! Faz parte do business!

Não some não!

Abs ^v^

pOp disse...

Fala, Seagull!

Fiquei uns dois ou três meses sem operar, acompanhando o mercado só pelos jornais, estava com vários pepinos pra resolver...

A partir de segunda estou de volta, aí apareço mais por aqui.

Um abraço

Seagull disse...

Maravilha Iggy!

Ficou livre da tentação de vender antes!

E pode estar voltando na hora boa!!! ;-)

Mick disse...

Realmente o mercado anda surpreendendo muito aos mais experientes. Em maio os gringos fizeram uma entrada modesta na Bovespa, em junho saíram de caminhão, este mês continuam saindo - e a Bovespa segue impávida. Colosso!!!

Tudo indica que a nossa Bolsa começa a caminhar com as próprias pernas e a compensar a saída dos gringos com substanciais e crescentes inversões domésticas de recursos da RF, que não são poucos.

Assim, mantidos os atuais níveis de crescimento dos países asiáticos, o otimismo econômico generalizado e a estabilidade política mundial, não tem porque o mercado parar de avançar - sabedeus até quando ou até onde. É fé em Deus e pé na tábua. Andam té dizendo que para melhor equilibrar o desempenho da Bovespa, doravante as variações positivas inferiores a meio por cento serão consideradas quedas!!!

Que um dia essa festa termina, disso ninguém duvida, mas até lá ainda tem muita água prá rolar e muita área para inundar.